"If you always do what interests you, at least one person is pleased" Katharine Hepburn

Vaidade?! O meu Pecado favorito... Lux


quinta-feira, 8 de março de 2012

Palavras que podiam ser minhas...



"O post que faltava sobre o Dia Internacional da Mulher


Começaram as mensagens logo de manhã: "Feliz dia da mulher. Parabéns!".

Começou, logo, a azia (literal) agravada por estas mensagens. Vamos lá a ver uma coisa: "Parabéns?". Repito: "Parabéns?". Mas parabéns porquê? Por ter uma vagina e dois cromossomas X? Olha que porra, han?

Não percebo, juro que não percebo as mulheres que ficam lisonjeadas quando alguém as congratula neste dia. Ora, ser mulher foi uma escolha individual? Não. Ser mulher foi uma conquista adquirida? Não. Ser mulher, especialmente ser mulher no mundo ocidental em pleno século XXI, é assim tão diferente de se ser homem? Epá, não.

A mim não me parabenizem. Sou contra todo o tipo de discriminação. Nomeadamente, contra a descriminação positiva. Sou contra o dia de esmola que estão a dar às mulheres para as distinguir. Nós não precisamos, a sério, obrigada. Fiquem lá com isto.

Nós não precisamos de dias que acentuem a nossa diferença dos homens, não precisamos de dias que nos compensem, dias que nos distingam, dias que nos enalteçam. Nós precisamos é de atenuar as diferenças de tratamento e a discriminação do género todos os dias, em todas as acções e não num dia Mundial por ano. Nós precisamos é dos nos sentirmos iguais, nos direitos e nos deveres, de renunciar a dias que ainda nos lembrem que já fomos muito diferentes, menores, inferiores.

Explico de forma directa: se é necessário haver um dia destes é porque as mulheres ainda são tratadas com diferença,certo? Portanto, bardamerda para este dia!..."

Pois é meus amigos...
E em relação ao tema do Dia da Mulher não encontro melhor forma de exprimir o que sinto do que vos remeter para um post sobre o tema no blog Quadripolariades, da sempre tão perspicaz e acutilante Ursa.

Acrescento só que o que pode fazer sentido em alguns países, não acontece aqui em grande escala, na Europa, no Ocidente, pelo que não, não vejo qualquer razão para me darem os parabéns por ser mulher.
Em relação ás milhares de vítimas deste mundo cruel e que são mulheres, e são vítimas por essa mesma condição, não é por existir um dia em que todos nos lembramos delas que alguma coisa vai mudar.
Isso tem que ser feito todos os dias, tal como a violência contra as crianças, os homens e qualquer que seja o animal.
A luta é contra a violência do ser Humano contra o seu semelhante e não só.

E é isto.
Agora podem apedrejar-me mas esta é a minha opinião.

Lux

5 comentários:

...Ju... disse...

a tua e de muita gente, eu incluída!

eu cá exijo tratamento 5estrelas diariamente e não apenas hoje, porque o calendário marca!!!

Julie disse...

Eu concordo plenamente contigo.
Agradeço que não me parabenizem neste dia.
Irrita-me.
bjo

Utena disse...

E um dia como outro qualquer.

Anônimo disse...

Estes posts vão ao encontro daquilo que penso. Mas lembro que os dias internacionais mostram que ainda há muito por fazer em relação ao objecto que é celebrado... Eu baniria a celebração deste dia, mas não consigo deixar de pensar que ser mulher, em muitas culturas, e não só - tendo também em conta certas perspectivas, é um "obstáculo"... CA

Heriwen disse...

Querida Lux, concordo totalmente. Das duas uma: ou se celebram as mulheres todos os dias, ou não se celebra num dia. O mesmo se aplica a todos os supostos dias de celebração: crianças, namorados... uma palhaçada hipócrita.