"If you always do what interests you, at least one person is pleased" Katharine Hepburn

Vaidade?! O meu Pecado favorito... Lux


quinta-feira, 17 de maio de 2012

Ipsis verbis


Para quem tiver paciência para ler aqui fica um texto muito, muito bom, de Ricardo Araújo Pereira sobre a nobre profissão de ser professor.

"Neste momento, é óbvio para todos que a culpa do estado a que chegou o ensino é (sem querer apontar dedos) dos professores. Só pode ser deles, aliás. Os alunos estão lá a contragosto, por isso não contam. O ministério muda quase todos os anos, por isso conta ainda menos. Os únicos que se mantêm tempo suficiente no sistema são os professores. Pelo menos os que vão conseguindo escapar com vida.
É evidente que a culpa é deles.

E, ao contrário do que costuma acontecer nesta coluna, esta não é uma acusação gratuita. Há razões objetivas para que os culpados sejam os professores.
Reparem: quando falamos de professores, estamos a falar de pessoas que escolheram uma profissão em que ganham mal, não sabem onde vão ser colocados no ano seguinte e todos os dias arriscam levar um banano de um aluno ou de qualquer um dos seus familiares.

O que é que esta gente pode ensinar às nossas crianças? Se eles possuíssem algum tipo de sabedoria, tê-la-iam usado em proveito próprio. É sensato entregar a educação dos nossos filhos a pessoas com esta capacidade de discernimento? Parece-me claro que não.
A menos que não se trate de falta de juízo mas sim de amor ao sofrimento.

O que não posso dizer que me deixe mais tranquilo. Esta gente opta por passar a vida a andar de terra em terra, a fazer contas ao dinheiro e a ensinar o Teorema de Pitágoras a delinquentes que lhes querem bater. Sem nenhum desprimor para com as depravações sexuais -até porque sofro de quase todas -, não sei se o Ministério da Educação devia incentivar este contacto entre crianças e adultos masoquistas.

Ser professor, hoje, não é uma vocação; é uma perversão.

Antigamente, havia as escolas C+S; hoje, caminhamos para o modelo de escola S/M. Havia os professores sádicos, que espancavam alunos; agora o há os professores masoquistas, que são espancados por eles. Tomando sempre novas qualidades, este mundo.

Eu digo-vos que grupo de pessoas produzia excelentes professores: o povo cigano.

Já estão habituados ao nomadismo e têm fama de se desenvencilhar bem das escaramuças. Queria ver quantos papás fanfarrões dos subúrbios iam pedir explicações a estes professores. Um cigano em cada escola, é a minha proposta.

Já em relação a estes professores que têm sido agredidos, tenho menos esperança.

Gente que ensina selvagens filhos de selvagens e, depois de ser agredida, não sabe guiar a polícia até à árvore em que os agressores vivem, claramente, não está preparada para o mundo."



Ricardo Araújo Pereira escreve sobre os PROFESSORES.

Lux

5 comentários:

Vanessa. disse...

Gostei sim senhor!

Hibiscus disse...

Este mundo está todo trocado. Os professores foram tão "maltratados" pelo governo e pelos paizinhos que não há quem aguente. A minha mãe era louca pela sua profissão, amava estar com os alunos, amava ensina-los e fazer brincadeiras com eles. Hoje, só me diz: onde vamos parar com estas crianças tão mal educadas em que se a gente ralha, vão contar aos pais e estes vem pedir satisfações como se tivessemos espancado os seus filhos." Sinceramente esta é uma profissão de fugir a sete pés porque as pessoas são ingratas. No meu tempo se eu contava a minha mãe que a professora ralhou comigo, ela ainda me dava um sermão porque dizia: "se a professora ralhou contigo é porque teve razões. " Hoje em dia os pais vem os filhos como santos e os professores como uns monstros, uns ignorantes que andam ai só para massacrar os meninos.


Enfim, desculpa o desabafo mas quem convive com professores, sabe muito bem como esta profissão está a ser desvalorizada e como as pessoas estão a perder o respeito por estes profissionais.

Lux disse...

Hibiscus,
Em primeiro lugar desculpas não aceites porque não há razão para as pedir.
Eu compreendo perfeitamente o que dizes, aliás, por algum motivo é que não dou aulas. Nem pensar em ter que me rebaixar a um fedelho mal educado e, ainda por cima, aos pais dele.

Lux

Hibiscus disse...

Concordo contigo, não vale a pena :)

deia.s disse...

Passando pr'um boa noite, apenas.

Boa noite. :}



http://amar-go.blogspot.com.br/